Tendências de TI: 7 novidades para os próximos anos

por nava
março, 2019.

Quando começamos a achar que alcançamos a era de ouro da tecnologia, novas tendências de TI surgem para nos surpreender. Dessa forma, somos apresentados a novos meios de nos relacionarmos com o mundo, otimizando a experiência das empresas que investem no setor e, consequentemente, dos usuários individuais. A tecnologia é, hoje, um dos fatores que mais garantem vantagem competitiva para as organizações, garantindo o florescimento das companhias em mercados cada vez mais acirrados. Além disso, os resultados são repassados, também, para os consumidores, otimizando o cotidiano das pessoas. Pensando nisso, preparamos um conteúdo com as principais inovações que chegarão ao mundo nos próximos anos. Confira!

1. Internet das Coisas

Fogões que gerenciam o cozimento de alimentos de forma autônoma e geladeiras com acesso direto à internet não são mais peças de ficção científica. A Internet das Coisas (IoT) tornou possível algumas dessas funções e a tendência é que isso seja apenas o início. O conceito se relaciona diretamente à integração de diferentes tecnologias Com a evolução contínua de hardwares e softwares, a Internet das Coisas se tornará ainda mais presente, mudando toda a forma como fazemos negócios e como extraímos o melhor da união de diversos dispositivos. Dessa forma, será possível desenvolver sistemas de segurança mais sofisticados e elevar o nível de eficiência na automatização dos processos. A evolução da IoT vai, ainda, proporcionar mais ambientes inteligentes. Eles são espaços físicos ou digitais em que os humanos e tecnologias podem interagir. Dessa forma, é possível desenvolver ambientes cada vez mais conectados e coordenados, proporcionando a proliferação de diferentes ambientes colaborativos. Para exemplificar, podemos citar as cidades inteligentes, ou smart cities, centros urbanos que se utilizam de diferentes tecnologias para aplicar melhorias de forma sustentável. Nesses ambientes, são inseridas transformações com base nos anseios dos cidadãos e pesquisas sólidas, elevando o nível de processos como coleta e administração de resíduos, espaços acessíveis e mobilidade urbana em geral.

2. Augmented Analytics

A evolução dos métodos de análise e extração de dados agora gera informações cada vez mais valiosas para as organizações, capazes de transformar todo o processo decisório. Surge, portanto a Augmented Analytics (ou análise aumentada) para potencializar ainda mais o trabalho dos cientistas de dados. O diferencial desse recurso é a identificação de padrões ocultos de forma automatizada, o que libera colaboradores talentosos para tarefas mais desafiadoras, fortalecendo as atividades do core business.

3. Edge Computing

Também conhecida como “computação de borda”, a edge computing é uma rede formada por múltiplos data centers que analisam dados críticos no local e repassam as informações extraídas para outros repositórios. A ferramenta realiza uma triagem básica dos dados e, com isso, reduz o tráfego no repositório central. A edge computing já se encontra em carros autônomos, por exemplo, já que esses equipamentos já funcionam como repositórios sobre rodas. Por meio da ferramenta, esses veículos transmitem dados em tempo real, o que evita problemas recorrentes como a falta de latência — os atrasos na transmissão de informações. A tendência é que muitas empresas comecem a utilizar esse modelo de computação ao integrá-la a recursos de inteligência artificial, processando mais rapidamente as informações e trazendo agilidade para as soluções digitais.

4. Computação quântica

Esse modelo de computação pega emprestado uma das teorias mais comentadas da física por utilizar uma versatilidade sem igual na tecnologia. Basicamente, a computação quântica se beneficia da possibilidade de partículas subatômicas existirem em mais de um estado ou forma específica a qualquer momento. Ou, em termos mais claros: a computação quântica reúne os qbits, que armazenam muita mais informação que os bits tradicionais, a unidade de informação mais conhecida. A transição vai proporcionar, portanto, computadores bem mais avançados, com sistemas robustos de segurança — e, com a popularização do novo modelo, essa tecnologia tem tudo para ser utilizada em companhias de diferentes portes e pelos usuários casuais.

5. Inteligência artificial

A inteligência artificial já não é mais uma novidade, mas a tendência é que os sistemas autônomos se tornem ainda mais sofisticados. Há ainda muito o que melhorar em experiências como carros autônomos e assistentes virtuais, então essa tecnologia tem potencial para render muito. Como a inteligência artificial se conecta diretamente ao Big Data, ou a análise de um elevado grupo de dados, a tecnologia vai ajudar setores tão diferentes como segurança e saúde. Afinal de contas, com o acesso a um amplo número de informações, será possível estabelecer padrões de ocorrências (como assaltos e o diagnóstico de tumores) e desenvolver ferramentas adequadas para combatê-los com base em análises mais sólidas.

6. Multicloud

Um ambiente multicloud é aquele em que a companhia utiliza diferentes opções de provedores de serviços em nuvem para alimentar e otimizar as suas aplicações. Nesse caso, em vez de priorizar um único fornecedor para atender todas as suas necessidades, a empresa realiza diversas contratações para combinar os pontos fortes de cada uma. Essa abordagem é uma boa opção para reduzir falhas e deficiências no serviço original, evitando os riscos de interrupções nos processos e potencializando o uso da cloud computing. Ao combinar diferentes opções é possível, por exemplo, distribuir funções de desenvolvimento em uma nuvem e backups de dados em outra — ou, até mesmo, expandir o backup para mais de um fornecedor, garantindo ainda mais segurança.

7. 5G

A quinta geração da tecnologia móvel, conhecida como 5G, pode alcançar velocidades até vinte vezes maiores que o 4G. Além disso, o tempo de resposta na troca de informações e repasse de dados por meio da rede será bem mais baixo, potencializando a conexão de diversos dispositivos sem que a rede se torne congestionada demais — o que ocorre frequentemente com o 4G. O Brasil, inclusive, já demonstra interesse ativo nessa inovação e a expectativa é de que ela chegue por aqui em breve, transformando todo o nosso setor de tecnologia e a experiência dos usuários comuns. Como vimos no artigo, o progresso tecnológico é um processo contínuo. A prova disso é que até ferramentas já estabelecidas em nossa sociedade, como a inteligência artificial, são atualizadas e modernizadas. Percebeu como essas tendências de TI têm potencial para otimizar todo o nosso cotidiano? De eletrodomésticos inteligentes até melhorias na segurança pública, passando por gestões empresariais, as possibilidades são múltiplas. Gostou do conteúdo e quer que outras pessoas leiam este conteúdo? Então, compartilhe o artigo em suas redes sociais e ajude os seus amigos a também dominarem o assunto!

Rua Funchal, 263
Vila Olímpia
São Paulo – SP

+ 55 11 5105-7500
[email protected]